A Câmara Municipal de Correntina está reunida desde terça-feira, 09/10, às 19 horas, com interrupção à meia-noite, e deu prosseguimento ontem e hoje à leitura do inteiro teor do processo de cassação dos seis vereadores, supostamente envolvidos na operação que o Ministério Público denominou “Último Tango”.
O presidente da Câmara, Maradona, que renunciou à presidência esta semana, diz que o processo de cassação está eivado de ilegalidades e que se trata de mais uma manobra dos opositores do “Grupo de Ezequiel” para tomar o poder na Câmara. E a seguir, com maioria no Legislativo, virar-se contra o Prefeito Maguila, seu principal opositor no cenário político da cidade.

“Seremos julgados pelos suplentes, maiores interessados na cassação do nosso mandato?”, diz Maradona.

Maradona faz referência também ao fato de que não foi caracterizado, até agora, o alegado dano ao erário que deu origem à “Operação Último Tango”, a qual resultou na prisão temporária dos seis vereadores.
A vereadora, do grupo de suplentes que assumiu, Nice do Rosário, postou ontem, nas mídias sociais:
“Meus amigos fui convocada pra assumir como vereadora pra exercer o cargo por noventa dias, para fazer parte da comissão responsável de recepcionar o recebimento da denúncia pela Câmara Municipal. Agora damos seguimento aos atos, conforme foi solicitado pelo Ministério Público em consonância do Decreto-Lei nº 201/67 C.F. A sessão que começou terça-feira às 19 horas ainda não se encerrou ate o fechamento desta matéria e deve continuar ate que sejam lidas as 9 pastas apensas do processo, dando publicidade à população através das atas e transmissão ao vivo pelas rádios do município e redes sociais.”

A Vereadora afirma ainda que os 5 suplentes estão na Câmara como fiscalizadores do processo de cassação. Quem decidirá pela cassação será a maioria de 2/3 dos vereadores.

Fonte: O Expresso.